Uma escapadela a Berna

by - abril 27, 2018


Fui a Berna festejar o aniversário de um primo meu que já não via há uns bons seis meses. A viagem acabou por ter também um outro significado, mas esse eu já falei anteriormente. O meu voo de ia estava marcado para Basel no dia 9 de Março, o primeiro da manhã. Consegui fazer a viagem toda a dormir, coisa que raramente me acontece. É uma viagem curta, sim, mas tive a sensação que foi ainda mais rápida. Existe aeroporto em Berna mas não há voos directos do Porto e os preços estavam caríssimos. O meu voo directo ida e volta custou 80€ e o voo para Berna com escala rondava os 1200€ (um absurdo!).

Um ponto a favor da Suíça é a rede de transportes que, apesar de serem caros, funcionam bastante bem. Para chegar a Berna, tive de apanhar um autocarro do aeroporto de Basel até à central de comboios desta cidade (viagem que não demora mais do que 15/20 minutos) e daqui, apanhei um comboio com direcção a Berna (mais ou menos uma hora de trajecto).


O meu primo fazia anos no dia 9 e por isso estavam todos a organizar tudo para o jantar mas eu tive de dormir um pouco pois estava mesmo cansada e se não dormisse de tarde, não me iria aguentar à noite. Ora, não saí de casa na sexta-feira mas eu também não me importei e acreditei no que o meu primo me disse "Berna vê-se perfeitamente num dia. Amanhã vamos passear."

E é verdade. Berna é uma cidade pequena, posso até comparar um pouco a Viseu no que respeita a tempo que é necessário despender para visitar. Um dia é suficiente. Dois no máximo mas mais do que isso, já é mesmo demasiado. 


Habituada a viajar para países estrangeiros, vejo-me obrigada a falar espanhol, inglês e francês, dependendo do sítio onde vou. Em Berna, a língua mãe é o alemão e nada me faz mais comichão que esta língua germânica. Já tive uma formação em alemão e sei o básico - repito, o básico - e é um desafio andar pelas ruas e entrar nas lojas e ouvir só e apenas alemão. E mesmo que eu pergunte se falam inglês, a pessoa do outro lado perde o sorriso e das duas uma: ou diz que não fala de todo ou diz que fala mas percebe-se que preferia não o fazer. Como capital da Suíça eu esperava um bocado mais. Mesmo nos transportes públicos não se fala inglês e tentar perceber o que as mensagens de voz diziam ou mesmo ler qualquer coisa exposta é uma missão impossível. Nem pelo contexto se lá vai.

Apesar de tudo, gostei de conhecer Berna mas é uma daquelas cidades onde, se não tivesse familiares, eu não voltaria. Estava a contar apanhar a cidade cheia de neve, mas infelizmente só apanhei chuva. Eu e o meu primo andámos pela cidade sem chapéu-de-chuva porque é um acessório que chateia quem anda a passear e eu prefiro colocar o carapuço do meu casaco e passear como se nada fosse.


Berna tem uma cor muito própria, um verde acinzentado que daria à cidade um ar monótono se não fossem as construções imponentes e bastante detalhadas dos edifícios. Até o rio Aar tem uma cor como nunca antes vi e combina na perfeição com a cidade.

A capital suíça tem algo que eu gosto bastante nas cidades: vistas panorâmicas a partir de vários pontos. Se formos para a parte traseira do Palácio Federal da Suíça, conseguimos ver os montes ainda com neve, as piscinas municipais e alguns edifícios mais antigos mas, pelo que o meu primo me contou, não é a parte mais interessante de Berna.


Para mim o melhor local para se ver a cidade é a partir do Bern Rose Garden, situado num ponto bastante alto que nos dá uma visão incrível tanto para a zona antiga como para a zona mais recente. Incrível como mesmo com um tempo super cinzento, as pessoas saem à rua. Na minha cidade, quanto mais tempo em frente à lareira, melhor.


A partir do Bern Rose Garden descemos até ao BarenPark Bern, um local especificamente criado para ter alguns ursos, símbolo de Berna. Apesar de não estarem no seu habitat natural, foram criadas todas as condições necessárias, têm acesso ao rio para tomarem uma banhoca, brincarem e pescarem, árvores para treparem e um local onde dormem e no qual fazem a sua hibernação. Na altura em que eu fui, os ursos ainda estavam hibernados mas duas ou três semanas depois lá acordaram. Fiquei triste porque gostava imenso de os ter visto.


A Cidade Antiga de Berna é muito característica. Com um ar bastante medieval, está muito bem conservada e percebi que Berna estima muito bem tudo o que lhe pertence. Faz-me querer entrar numa máquina do tempo e visitar Berna nesta época tão interessante.

 
No Domingo acabámos por não sair de casa e como eu tinha de ir cedo para Basel para apanhar o avião de regresso, optámos por estar em família e por a conversa em dia. Faltou-me visitar o Zentrum Paul Kleen Bern, Museu de Berna e o Museu de Einstein. Estes dois últimos são dois museus distintos mas situados no mesmo edifício. Estive bem perto dele mas acabei por não entrar. Talvez uma próxima vez que volte para visitar os meus tios.  


Durante o meu passeio e a caminho para o BarenPark, encontrei o Einstein sentado num banco sozinho mas com um ar muito sereno. Decidi falar com ele e felicitá-lo pelas descobertas que fez. Realmente, um génio! Ah, mas já viram aquele bracinho? Então não é que o maroto me pediu o número de telemóvel? (risinhos)

You May Also Like

5 coments

  1. Gostei imenso das fotos :)

    http://voltaemeiaa.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  2. Que espetáculo de post Cátia! :) As fotos são lindíssimos, as descrições que fazes são descritivas o suficiente para me imaginar lá ehehe

    Quanto aos alemães e afins, eles não são muito adeptos de falar inglês, afinal de contas eles têm tudo dobrado! (nós é que somos muitos bons!)


    Um grande beijinho*

    https://www.healthyfoodandme.com/

    ResponderEliminar
  3. Ah que viagem deliciosa! Adorei as fotos! ;)

    beijos!

    https://ludantasmusica.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
  4. Parece ser um sítio engraçado mas bem aborrecido ahah
    Acho muito feio fazerem má cara por terem de falar inglês especialmente na capital.

    ResponderEliminar